segunda-feira, 27 de junho de 2011

"Love Never Dies" morre em Londres

    "Love Never Dies", a sequela de Andrew Lloyd Webber par o seu maior sucesso musical "The Phantom of the Opera" vai fechar portas em Londres já a 27 de Agosto ao contrário de continuar pelo menos até 2012 como estava previsto.
     O Musical estreado em Março de 2010 teve tudo menos uma vida fácil. Logo durante a criação, Andrew Lloyd Webber teve de re-compor toda a música depois do seu gato a ter apagado do piano digital onde estava guardada. Depois teve de enfrentar a fúria dos fans da obra original que, não sem razão, acharam um disparate uma sequela. Quando finalmente abriu, para além dos fans, caíram-lhe em cima os críticos. A história não tinha pés nem cabeça, estava mal construída, era um desperdício de boa música e talento. Por causa das constantes criticas e apesar das pequenas alterações feitas já depois da estreia, Andrew Lloyd Webber acabou mesmo por ter de encerrar o Musical durante uma semana para implementar um guião profundamente alterado. A resposta a este Love Never Dies 2.0 foi mais positiva...mas não o suficiente para manter o musical aberto e assim, pouco mais de 1 ano depois da estreia, Love Never Dies sairá de cena.
    Entretanto uma produção do musical abriu na Austrália com um guião novamente diferente. Love Never Dies 3.0 é aquele que Andrew Lloyd Webber considera a melhor versão e tenciona levar para a Broadway. Se o conseguirá? Talvez, o poder financeiro conta muito. Mas se depender de produtores americanos ainda vai levar uns anos até Love Never Dies chegar à Broadway. É que a versão 1.0 estava prevista estrear lá e foi tudo cancelado. A versão 2.0 estava prevista ser transferida para lá mas os investidores desistiram. Veremos que futuro espera a versão 3.0 depois do teste na Austrália.

4 comentários:

Dina disse...

Olá Boa noite,

Fui ver este musical a Londres. Tinha como sonho ir a Londres ver o Fantasma da Opera e como estava lá a sequela, aproveitei. Devo dizer que adorei!!
Vozes magnificas, interpretações cheias de talento e acima de tudo, uma banda sonora espantosa.
Ao abrir a peça, somos invadidos pela magnifica interpretação do fantasma no "Till I hear you sing" que nos arrebata até a Christine já quase no final do 2º acto nos levar às lágrimas com o "Love Never Dies".
Foi com alguma tristeza que soube que ia terminar. Não entendi. Numa das cidades culturalmente mais ricas do Mundo (talvez a 1ª de todas), fiquei incrédula com o fecho deste musical 1 ano e meio depois da estreia.
Independentemente dos contras que teve, assisti a um musical com as mais modernas tecnologias realizadas em palco, um teatro reconstruído (ao contrário do Her Majesty onde o Fantasma assombra há 25 anos), uma história com sentido, um final surpreendente mas acima de tudo, uma orquestração e musicalidade inesquecível, guarda-roupa extraordinário, um casting fabuloso.
Já vi fotos do musical na Australia e notei algumas diferenças de cenário e a equipa da Brodway já se encontra em ensaios, pois um dos fantasmas londrinos encontra-se no projecto.

Em relação ao Fantasma, tive o prazer de assistir à interpretação da Sofia Escobar, que é uma maravilhosa e talentosa actriz e lírica.

Muitos parabéns por este blog.

David Baptista da Silva disse...

Boa noite Dina,

Precisamente por ser uma das mais ricas é que o Musical durou tão pouco tempo. O problema deste musical é a história. Ela simplesmente não faz sentido, nem sequer matematicamente (o Fantasma da Ópera de ALW tem lugar em 1881. Love Never Dies em 1910. O Fantasma canta "ten long years..."...ora de 1881 a 1910 não são 10 anos...são 29.)
Visualmente o espectáculo era bom (mas não do mais moderno. Se puder espreite por exemplo o Ghost) e as melodias foram completamente desperdiçadas numa história tão fraca. E o público londrino não esteve para sustentar algo tão fraco. Confesso-lhe que eu até fiquei pasmado com o tempo que ele durou após Sierra Borgess e Ramin Karimloo terem abandonado o elenco.

A produção australiana é de facto bem diferente. É a versão 3.0.

Contudo, lamento informa-la mas o musical não vai abrir na Broadway. O próprio Andrew Lloyd Webber já admitiu que foi uma má ideia e que por isso mesmo vai filmar a produção australiana (que é no seu entender a melhor) e lançar em DVD no fim do ano em vez de abrir uma produção na Broadway o que seria irrealista (o musical não duraria um mês na Broadway actualmente).
Depois disso o musical morrerá tal como aconteceu com outros musicais de ALW como por exemplo "The Woman in White" que só agora Andrew Lloyd Webber vai finalmente rever e reescrever para o tentar salvar (e diga-se que merece bem mais que o Love Never Dies).

Se quiser ler o artigo do NYTimes encontra-o aqui http://www.nytimes.com/2011/07/17/theater/andrew-lloyd-webber-and-wizard-of-oz.html?_r=4&pagewanted=2

Obrigado e volte sempre=)

Anónimo disse...

Eu amei e o teatro estava lotado. Vou voltar à Londres em agosto próximo e não encontrei o musical (para garantir ingresso na primeira fileira) na lista de entretenimento para este ano de 2013.
E agora a notícia que saiu de cartaz.
Uma pena porque, conforme disse Dina, casting e músicos incríveis.

David Baptista da Silva disse...

O musical fechou ainda em 2011 e não há previsão de que seja novamente encenado em Londres nos próximos anos.