sexta-feira, 17 de julho de 2009

Piaf - Politeama (Estreia)

Estreou ontem em Lisboa o Musical "Piaf" encenado pelo meu amigo Filipe La Féria que me convidou para assistir ao mesmo. E assim foi.
O Musical em questão conta a vida de Edith Piaf unindo as músicas da cantora francesa à história da sua vida. Tal como no musical "Amália". Piaf contudo é um musical minimalista, intimo...e até divertido.
Os cenários são parcos. Aliás...praticamente não existem, a orquestra está ao fundo do palco e toda a atmosfera é bastante pessoal. Confesso que, apesar de saber da existência deste musical nunca me tinha dado ao trabalho de saber mais sobre ele. Fiquei deveras agradado com o resultado. Na estreia os papéis principais foram interpretados por:

-Wanda Stuart (Piaf): Gostei muito da Wanda apesar de ter gostado mais da sua performance enquanto actriz do que como cantora. A voz dela é de facto muito boa, mas falta-lhe aquele toque áspero que caracterizava a voz de Edith Piaf. Mesmo assim ela foi muito convincente no seu papel. Uma grande actriz.

- Noémia Costa (Toine): Noémia Costa simplesmente arrasou no papel de Toine, a melhor e única verdadeira amiga de Piaf. Aliás, a Noémia foi tão boa que acabou por roubar a atenção do público. Sempre que estava em cena com Wanda Stuart o público estava mais interessado na Toine do que na Piaf. Isto porque Toine é a comedy relief do espectáculo. É de chorar a rir. Foi sem dúvida, enquanto actriz, a melhor que esteve em palco. Fantástica.

- Paula Sá (Marlene Dietrich): Não conhecia a conhecia sinceramente. E fiquei completamente pasmado com o vozeirão desta mulher. Foi, vocalmente a melhor em cena. No musical é a personagem dela que canta a conhecida La Vie en Rose. E a Paula cantou-a lindamente. Foi brilhante. Do tipo de voz que não pensei que houvesse em Portugal! Quanto à personagem...eu não sei se foi invenção do Filipe se foi da autora do musical,Pam Gems, mas esta "Marlene" é...lésbica. Talvez bissexual, mas como não a vemos com homem nenhum e só se atira a Piaf, deduzo que lésbica. O que me parece que não é de todo uma imagem verídica da verdadeira Dietrich. Pelo menos a imagem que tenho dela é sempre a de uma autêntica tarada que "papou" meio exército alemão. Independentemente disso, valeu só pela voz de Paula Sá.

- Bruno Galvão (Leplée, Marcel e médico): Conheci o Bruno em Jesus Cristo Superstar no papel de Pôncio Pilatos e confesso que não gostei de todo da sua interpretação. Em Piaf esteve muitíssimo melhor. Interpretou várias personagens é certo, mas todas muitíssimo bem. Gostei bastante de o ver.

Todos os outros actores tiveram também muito bem. A única coisa que não me agradou muito foi ver a forma patética como mais uma vez oficiais do Exército do III Reich são representados. Aparecem sempre como figuras apalermadas e desastradas, caricaturas de alemães, e acho que isso não joga a favor da credibilidade das personagens. Tirando isso está tudo muitíssimo bem conseguido e é uma hora e meia muito bem passada.
A adaptação para português estava também muito boa, sendo as músicas metade em francês, metade em português mas sem que se desse pela transição.
Aconselho VIVAMENTE todos os que não viram nos Açores ou no Porto a não perderem Piaf no Teatro Politeama.
E não se preocupem com quem fará de Piaf, se a Wanda Stuart se a Sónia Lisboa, porque no final do Espectáculo, quando Filipe La Féria subiu ao palco para fazer os agradecimentos da estreia etc, pediu a Sónia que cantasse um pouco para o público, ela cantou e encantou ;)
Podem ver mais sobre o Musical aqui .
Uma última nota para louvar o acordeonista Michele que esteve no foyer do Teatro Politeama a receber os convidados com músicas tipicamente francesas brilhantemente interpretadas no acordeão.

4 comentários:

Sandra disse...

Olá, o meu nome é Sandra, tenho 34 anos e para além de uma grande apaixonada por teatro, sou uma eterna apaixonada por musicais!
Quanto à pequena/grande Edith Piaf... que mais se pode dizer ou contar? Que foi uma mulher que viveu a vida intensamente, até que um sopro de vida a levou precocemente...
Não sei se terei oportunidade de ir ver este espectáculo (pois estou quase no fim de uma gravidez), mas sempre que olho para estes cartazes, recordo com muita saudade o dia/dias em que fiz de Edith Piaf e como a história dela me encheu de um não sei quê, que nunca esqueci!
Bem-haja por este cantinho, vou passar a visitá-lo mais vezes...

Melhores Cumprimentos
Sandra C.

Elsa Furtado disse...

Olá,

tive o prazer de assistir ao ensaio à imprensa com a Sónia Lisboa,acho que a cantar ela está muito boa, o que pode ser um bom motivo para voltar a ver a peça. Deixo-lhe aqui link para o meu artigo:A vida da “pequena” – grande Piaf agora em cena no Politeama, em Lisboa
http://canelaehortela.wordpress.com/2009/07/20/piaf-no-politeama-em-lisboa/

Quanto ao tema do blog, confesso que gostei muito, também sou fã de musicais, tive a oportunidade de ver a Elisabeth em Viena (que está no seu logo) e tenho o cd em casa que ouço algumas vezes, entre outros em Londres e NY, daqueles que dão vontade de cantar e dançar também, acho que Portugal está no bom caminho, é uma questão de continuar a apoiar quem faz o género. Continuação de boas idas ao teatro.

EF - Canela & Hortelã

PIAF disse...

Colocámos o seu texto no nosso blog (www.piaf-omusical.blogspot.com). Obrigado por tudo.

Fantasma da Ópera disse...

Sandra:
Seja bem-vinda e tudo de bom para si e para o bebé!=)

Elsa:
Concordo plenamente consigo. Se gostou da "Elisabeth" talvez queira "dar uma ouvidela" ao Musical Rebecca dos mesmos autores que esteve em cena em Viena de Setembro de 2006 a Dezembro de 2008. É verdadeiramente grandioso. Quanto ao Elisabeth, gostaria de o ver em Portugal mas já discuti o assunto com o meu amigo Filipe La Féria e é um musical que seria "dificil" para os gostos portugueses (da minha parte o mais dificil seria mesmo fazer perceber ao público que Elisabeth é o nome da conhecida princesa Sissi...)

PIAF:
De nada, é uma honra e um prazer.